domingo, 4 de setembro de 2011

Entronização da Imagem da Beata Irmã Dulce, Convento do Carmo - São Cristovão SE

“O amor supera todos os obstáculos, todos os sacrifícios. Por mais que fizermos, tudo é pouco diante do que Deus faz por nós”

Irmã Dulce Freira Baiana nasceu no dia 26 de maio de 1914, na cidade de Salvador. O interesse pela vida religiosa começou a se manifestar no início da adolescência, quando aos 13 anos de idade já atendia doentes no portão de sua casa, no bairro de Nazaré Em 1933, aos 18 anos, logo após se formar professora, a jovem ingressa na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, no Convento de Nossa Senhora do Carmo, em São Cristóvão (Sergipe).
No mesmo ano, recebe o hábito e adota, em homenagem à sua mãe, o nome de Irmã Dulce. fonte  (http://www.irmadulce.org.br/bemaventurada)










No último dia 28 de agosto deste ano, foi celebrada com solenidade a Santa Missa em ação de graças pela beatificação da Irmã Dulce. A celebração se deu no Santuário do Carmo, São Cristovão.

Na oportunidade, foi entronizada na referida igreja a primeira imagem da Beata Dulce dos Pobres, para a veneração popular do povo sergipano.

A santa missa foi presidida por Frei Sormani Barbosa, O.Carm, prior do convento. Também estavam presentes religiosas da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição, congregação esta a qual a Beata fazia parte; as Irmãs Camilianas, representantes da CRB Regional Sergipe, Irmãs Franciscanas residentes em São Cristóvão, bem como devotos e devotas de várias partes de Sergipe.

Para a comunidade católica de São Cristóvão, é motivo de muita alegria celebrar este dia, pois foi nesta mesma cidade que a Beata Dulce iniciou sua vida religiosa, como noviça e logo depois professando seus primeiros votos, como Irmã da Imaculada Conceição. Isso se dá no Convento do Carmo, onde hoje vivem os Frades Carmelitas. (Texto e fotos dos Noviços; Frei Paulo Henrique Alves Batista, O.Carm, Frei Leandro Luiz da Paz, O.Carm)
 Processo de Beatificação
de Irmã Dulce
A 21 de janeiro de 2009, a Congregação para as Causas dos Santos do Vaticano anunciou o voto favorável que reconhece Irmã Dulce como venerável.

A 3 de abril de 2009, o papa Bento XVI aprovou o decreto de reconhecimento de suas virtudes heroicas.

No dia 9 de junho de 2010 o corpo de irmã Dulce foi desenterrado, exumado, velado e sepultado pela segunda vez, sendo este o último estágio do processo de beatificação.

No dia 27 de outubro de 2010, foi anunciada pelo cardeal arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Geraldo Majella Agnelo, em coletiva de imprensa realizada na sede das Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) a beatificação, última etapa antes da canonização, da religiosa Irmã Dulce, tornando-a a primeira beata da Bahia. O anúncio foi sucedido pelo decreto em 10 de dezembro de 2010 e aconteceu após o reconhecimento de um milagre pela intercessão da religiosa na recuperação de uma mulher sergipana, que havia sido desenganada pelos médicos após sofrer uma hemorragia durante o parto.

No dia 22 de maio de 2011, Irmã Dulce foi beatificada (ou Bem-aventurada) em Salvador, Capital da Bahia e passou a ser reconhecida como Bem Aventurada Dulce dos Pobres. A Solene Eucaristia de Beatificação foi presidida pelo enviado especial do Papa Bento XVI, Dom Geraldo Majella Agnelo, arcebispo emérito de Salvador.

Cronologia da vida Irmã Dulce

1914
26 de maio - Nasce Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, à rua São José de Baixo, 36, no bairro do Barbalho, na freguesia de Santo Antônio Além do Carmo, cidade de Salvador, Bahia, Brasil. Filha do cirurgião dentista Dr. Augusto Lopes Pontes e D. Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes.

13 de dezembro - É batizada na igreja de Santo Antônio Além do Carmo.
1921
8 de junho - Morre D. Dulce, sua mãe, aos 26 anos de idade.
1922
Junto com seus irmãos Augusto e Dulce, faz a primeira comunhão, na Igreja de Santo Antônio Além do Carmo.
1927
Manifesta pela 1ª vez o interesse pela vida religiosa. Por esta época já atendia doentes no portão de sua casa, na rua da Independência, 61 – bairro de Nazaré.
1929
Conhece no Convento de Nossa Senhora do Desterro, a Irmã Rosa Schüller que pela 1ª vez lhe falou sobre a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus.
14 de fevereiro - Foi matriculada na Escola Normal da Bahia, no 1º ano do curso de professora.
1932
20 de agosto - Recebe o sacramento da crisma, das mãos do Arcebispo D. Augusto Álvaro da Silva.
9 de dezembro - Forma-se em professora pela Escola Normal da Bahia (atual ICEIA).
1933
15 de janeiro - Faz a profissão de Terceira Franciscana, recebendo o nome de Irmã Lúcia.
9 de fevereiro - Ingressa na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, no Convento de Nossa Senhora do Carmo, em São Cristóvão, Sergipe.
13 de agosto - Recebe o hábito das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus. Em homenagem à mãe, recebe o nome de Irmã Dulce.
1934
15 de agosto - Emite sua Santa Profissão de votos simples temporários de Noviciado.
Setembro - Vem para Salvador, trabalhar na abertura do Hospital Espanhol, em companhia das Irmãs Tabita e Capertana, exercendo as funções de enfermeira, sacristã, porteira e responsável pelo raio X.
1935
Inicia a assistência à comunidade carente, sobretudo nos Alagados, conjunto de palafitas que se consolidara na parte interna do bairro de Itapagipe, além de começar a atender os operários que eram numerosos naquele bairro, criando um posto médico que teve em Dr. Bernadino Nogueira, seu 1º colaborador e diretor. Por esta época a imprensa começa a chamá-la de Anjo dos Alagados.
Fevereiro - Passa a ensinar no Curso Infantil e lecionar Geografia e História no Colégio Santa Bernardete, no Largo da Madragoa, pertencente à sua Congregação.

Junho - Começa a trabalhar com os operários da Península Itapagipana.
6 de dezembro - Inaugura uma biblioteca para os operários da Fábrica Penha, em Itapagipe.
1936
1 de novembro – Funda com os operários Ramiro S. Mendonça, Nicanor Santana e Jorge Machado, a União Operária São Francisco, 1ª organização operária católica da Bahia.
1937
A União Operária São Francisco se transforma no Círculo Operário da Bahia.
15 de maio - A Serva de Deus inicia seu 2º noviciado.
15 de agosto - Emite sua Santa Profissão de votos simples perpétuos.
1937 / 40 - Ajuda a fundar os cinemas Plataforma, São Caetano, cuja renda contribuía para a manutenção do COB.
1939
1 de maio - Inaugura o Colégio Santo Antônio, no bairro da Massaranduba, para operários e seus filhos, com 300 crianças no turno matutino e 300 adultos à noite.
Ocorre a invasão das cinco casas, na Ilha dos Ratos, que irá definir o futuro da ação social e religiosa da Serva de Deus.
1941
8 de janeiro - Conclui o curso de Oficial de Farmácia.
A Serva de Deus inicia a obra do quilo, para ajudar as famílias carentes junto ao Círculo Operário.
1946
Dá início à campanha para entronizar o Sagrado Coração de Jesus nas fábricas de Itapagipe.
1947
11 de junho - É instalado o Convento Santo Antônio, com as Irmãs Plácida e Hilária e, a Serva de Deus como a sua 1ª Superiora, junto ao Círculo Operário da Bahia.
15 de novembro - Recebe o título de Auxiliar de Serviço Social.
1948
28 de novembro - Inaugura o Cine Teatro Roma.
1949
Ocupa o galinheiro ao lado do convento inaugurado em 1947, após a autorização da sua Superiora, com os primeiros 70 doentes, dando origem a tradição propagada a décadas pelo povo baiano, de que a Serva de Deus construiu o maior hospital da Bahia, a partir de um simples galinheiro.
1950
Inicia o atendimento aos presos da cadeia conhecida como “Coréia”, devido as más condições de higiene local, no Dendezeiros.
1952
16 de abril - Cria o SAC – Serviço de Alimentação do Comerciário – almoço a preços populares ( 2 tostões), no prédio do Círculo Operário da Bahia.
1959
26 de maio - Funda a Associação Obras Sociais Irmã Dulce.
15 de agosto - Instala oficialmente a Associação Obras Sociais Irmã Dulce.
1960
8 de fevereiro - Inaugura o Albergue Santo Antônio, com 150 leitos.
1976
25 de fevereiro - Falece seu pai, Dr. Augusto Lopes Pontes, que além de se constituir num baluarte ao lado de sua filha, na construção e consolidação das suas obras, foi um grande incentivador de outras obras sociais, destacando-se entre elas o “Abrigo Filhos do Povo”, situado no bairro da Liberdade.
1980
7 de julho - A Serva de Deus tem seu primeiro encontro com o Papa João Paulo II.
1981
9 de março - Cria a Fundação Irmã Dulce.
1983
Inaugura o novo Hospital Santo Antônio, com 400 leitos.
1984
Funda a Associação Filhas de Maria Servas dos Pobres, com o intuito de manter o carisma da sua Obra.
1988
O então Presidente da República José Sarney, indica a Serva de Deus para o Prêmio Nobel da Paz, com o apoio da Rainha Sílvia da Suécia.
1990
11 de novembro - A Serva de Deus é internada com problemas respiratórios.
1991
20 de outubro - Recebe no seu leito de enferma, a visita do Papa João Paulo II, pela última vez.
1992
13 de março - Numa sexta feira, morre às 16:45, aos 77 anos, no Convento Santo Antônio, sito a Av. Dendezeiros, depois de sofrer por 16 meses.
15 de março - As 20:00h, é sepultada no altar do Santo Cristo, na Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, na Cidade Baixa, em Salvador, Bahia, Brasil.

Fonte: texto extraído do site; http://www.irmadulce.org.br/bemaventurada/

Nenhum comentário: